13.1.12

O destino que tens, de querer o impossível, é igual a este meu, de querer ser feliz.

Mais um entardecer em que a sorte não vem
Fosse a esperança tão-só um remendo
Imagino que algo esteja acontecendo
E eu resolvo viver as venturas de outrem

Vasculho as histórias fossem todas minhas
Perco-me nas memórias de plebeu e rei
Que me revelam cada coisa que não sei
E me descrevem n’outras luminosas linhas

Relatos de viagens que jamais farei
E fotos de pessoas que não conheci
De tanto ouvir e ver, eu até me cansei
Da minha própria vida eu me esqueci

Volto à realidade da vida ordinária
Que me deixa com sono, cansado e só
Encosto-me na cama, apago a luminária
E meus sonhos se perdem, nas cinzas, no pó.

3 comentários:

Anônimo disse...

Continuo na imaginação de quando sair do lugar onde estou, conseguir ter uma vida sem entorpecentes,estupefacientes, alucinógenos, analgésicos, barbitúricos,psicotrópicos,anabolizantes, estimulantes, anfetaminas, seringas, latas,copos, nicotina, sem o anjos de asas negras e faixas pretas... e quando penso em tentar voltar para a realidade ela se torna mesquinha, cheia de dissabor. O medo paralisa, as mãos tremem, o coração descompassa. O sono faz do meu corpo o seu templo, a escuridão se torna o meu norte e os sonhos no me visitam.
Vou fechar os olhos, olhar para trás e vou SORRIR!

Será que eu vou conseguir Fábio?



Fico na tentativa de conseguir obter o RECOMEÇO.

Idris disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Lembro muita das coisas que você escrevia e que eu me identificava, mais perdi o controle sobre mim e sobre as minhas "loucuras" cai profundamente na droga, desde remédios passando pela bebida, cigarro, maconha, entorpecentes, drogas injetáveis, metanfetaminas, até chegar ao crack (...) De tudo, usei muito! Fui internada em um clinica psiquiatra em Janeiro do ano passado passei 1 mês, onde consegui viver fora de mim por muuuito tempo. Sem dores, medos, ou angústias e de lá vim para uma casa de recuperação, onde não é permetido o uso de remédios controlados e o tratamento é de 12 meses o qual estou finalizando no dia 12 de Fevereiro. E tudo isso começou com um transtorno alimentar. Fiz de tudo, tudo mesmo! Desde ficar dias intermináveis sem comer à auto multilação. Fui aos extremos! Extrai tudo de negativo, emagreci horrores, quase fiquei como sempre sonhei em ficar!!! Era horrivel me olhar no espelho não sabia no que estava transformada. As mãos roxas de tanto aplicar drogas, o resto sem cor, os olhos brilhantes de tantos alucinógenos, as roupas caindo e um sorriso sem sentido no rosto transformado. Me libertei da escravidão da bulimia/anorexia e me tornei uma escrava passiva/ativissíma das drogas. Elas me satisfaziam e não bastava eu saber que ficaria presa na angústia após a penúltima dose, nada me parava. Nem o quase "derrame vascular" que tive ou as reações adversas nem mesmo a ressaca moral que nunca passava. Mais algo me puxou, não era minha hora. Disso eu tenho certeza. Chegando nessa casa de recuperação me vi louca, sem remedios, analgésicos, lenitivos, ou qualquer outra forma de prazer. Gritava, tinha crises terriveis de abstinência... começei a comer feito louca! Para finalizar os transtornos engordei 34 kg mais já marquei uma cirúrgia assim que sair daqui. Dessa vez eu sei que estarei livre! De privações, das Drogas e dos NF´S. Vou fazer uma redução de estômago mesmo não estando com o peso necessário. Sou uma adicta! Incurável ,sempre estará em mim isso. E não adianta eu acreditar em um auto controle que eu não tenho. A sede pelo inexplicável existe dentro de mim.



Enfim, até outra hora para conversarmos.

Ninguém dos meus amigos sabe que estou internada, a familia escondeu isso de todos.

Só estou desabafando com alguém que eu sei que realmente vai me entender.





Sem mais.