31.12.10

Na verdade, "virtude" é uma palavra tão perigosa que devemos nos apressar em explicar.

[22h29min]

Outros universos imersos nas mesmas palavras
E no entanto te calavas
Atrasada, distaída
A ver passar a vida
Enquanto fingias ser infeliz.

Foi por um triz que não me enterrastes de vez
Mas a minha solene voz
Ergueu-se contra o algoz
Que um dia fora importante
E hoje é uma ausência na estante.

Enfrentei numa noite a minha própria ira
Mentira e verdade
Naquela cidade
Que de tão feia é bela
E hoje segue morta e esquecida.

Atravesso hoje cadáveres insepultos
Nêmese de antigos cultos
Gênese de todos os tumultos
E nesta noite sou riquíssimo de mim.

Do princípio ao fim e do final tudo de novo
Em poucos dias
Em que dirias
Que eu desapareceria sem sorte
Porém descobri que sou imortal até a morte.

[22h40min]

Um comentário:

m. disse...

a imortalidade deve doer.